Vitiligo: saiba tudo sobre a doença de pele
Doenças da pele

Vitiligo: saiba tudo sobre a doença de pele

Manchas de pele fazem parte da vida das pessoas. A quantidade excessiva, na maioria das vezes, chama mais atenção, principalmente quando a coloração das marcas é branca, como é o caso do vitiligo.

A doença cutânea é caracterizada pela falta de melanina na pele, com uma perda gradativa da pigmentação. As manchas brancas podem afetar qualquer parte do corpo, incluindo o cabelo, os cílios, o interior da boca e os olhos. Já a extensão das lesões varia de caso para caso, ou seja, há portadores com mais ou menos manchas.

O vitiligo não é contagioso e não oferece riscos à saúde física. Contudo, as manchas brancas na pele podem impactar a qualidade de vida e autoestima do portador, sendo necessário às vezes o acompanhamento psicológico. Se tiver contato com alguém que possui a doença, trate-o normalmente e não fique encarando as lesões. Isso pode gerar constrangimentos e acabar com o dia da pessoa.

Embora o vitiligo seja mais comum em pessoas de pele mais escura, a doença pode afetar qualquer indivíduo, independente da fase da vida. No entanto, o seu surgimento é mais comum até os 20 anos de idade.

O histórico familiar da doença (hereditariedade) pode estar entre um dos possíveis fatores de risco para o surgimento do vitiligo, mas essa evidência ainda não foi comprovada.

– Tipos de vitiligo

Vitiligo localizado: uma ou mais manchas brancas podem surgir em, pelo menos, três partes do corpo. A evolução costuma ser rápida, seguida de estabilização definitiva. Pode ser classificado como segmentar (manchas em formato de faixas e unilaterais, de um só lado do corpo), focal (manchas em duas ou três partes do corpo – o mais comum de todos) ou de mucosas (manchas nos lábios e na região genital).

Vitiligo generalizado: caracteriza-se pelo desenvolvimento do vitiligo focal para a forma generalizada. As manchas brancas são simétricas, afetando os mesmos locais nos dois lados do corpo. A evolução da doença pode ser rápida ou lenta, com a possibilidade de estabilizar depois de determinado tempo. Há três tipos diferentes: vulgar (manchas simétricas em diversas áreas do corpo), universal (o mais raro de todos e afeta mais de 70% do corpo) e acrofacial (manchas no rosto, nas mãos e nos pés).

– Causas

O vitiligo é uma doença com causas desconhecidas, mas sabe-se que seu surgimento está associado à morte de melanócitos ou falta de produção de melanina, o pigmento que dá cor à pele, cabelo e olhos. Há pesquisas que caracterizam o vitiligo como doença autoimune, em que o próprio sistema imunológico ataca e destrói os melanócitos. Alterações ou problemas emocionais também podem estar entre os fatores que provocam ou agravam a doença.

– Sintomas

O sintoma mais comum do vitiligo são as tais manchas brancas na pele, que podem ser surgir em quase todo o corpo. Além disso, o portador da doença também pode apresentar perda de pigmentação dos cílios, sobrancelhas, barba e cabelo; alteração da cor da camada interna do globo ocular (retina), dos tecidos que revestem o interior de sua boca e nariz (membranas mucosas) ou manchas em torno das axilas, umbigo, órgãos genitais e reto.

A progressão da doença depende unicamente do organismo do paciente. É impossível prever como o vitiligo evoluirá. Após a perda da cor da pele, dificilmente ela volta a ser como era antes.

Caso perceba que alguma parte do corpo, cabelo ou olhos está perdendo a cor ou com a presença de manchas brancas em áreas específicas, procure um médico para que seja feita uma avaliação.

– Diagnóstico

Se o médico suspeitar de vitiligo, fará algumas perguntas sobre seu histórico (individual e familiar) para excluir outras causas possíveis. Também pode ser solicitado uma biópsia de pele e uma coleta de sangue para análise.

Lembrando que o vitiligo é sempre simétrico, ou seja, as manchas ocorrem dos dois lados do corpo. Assim, se por exemplo você possui uma mancha clara no braço direito e no esquerdo não, provavelmente não se trata de vitiligo.

Tratamentos

Os tratamentos tradicionais do vitiligo são os corticoides tópicos, cremes imunomoduladores, cremes à base de vitamina D e radiação UVA/UVB para as manchas mais extensas. Essas opções podem ajudar a desacelerar a doença e até melhorar a aparência do portador, ou seja, a cura existe. No entanto, a reação do organismo do paciente também reflete o sucesso do método utilizado. Dependendo da pessoa, os resultados podem demorar um pouco mais para aparecer. Quanto mais antigas e extensas as manchas, mais difícil é o tratamento. Mas não desanime. Insista no tratamento e só use medicamentos com prescrição médica.

Ficou com alguma dúvida sobre vitiligo ou qualquer outro assunto que remete à saúde da pele? Envie sua pergunta para a dermatologista!

COMENTÁRIOS


Lembre-se: este site não realiza consultas online nem receita medicamentos ou cosméticos. Reservamos o direito de escolher quais perguntas responder e apenas tiramos dúvidas específicas sobre problemas de pele.



COMENTÁRIOS




Escreva sua mensagem (Máx. 250 caracteres)

  • Responder Mara Miranda 9 de janeiro de 2017 at 09:37

    Ola tudo bem?
    Recentemente apareceu uma pequena mancha branca na pele , parte de baixo do meu olho esquerdo. Só que cresceu…se estendeu em quase toda parte de baixo. E ontem notei em meu olho direito na parte da pálpebra.
    O que pode ser? Tem tratatamento? Por favor me ajude. Tenho 40 anos
    Obrigada

    • Responder Pergunte Ao Dermatologista 10 de janeiro de 2017 at 09:39

      Bom dia Mara, você deve se consultar com um dermatologista pra saber sobre oque pode ser essa mancha e também o tratamento.