Perguntas e respostas

Estágios da celulite, suas características e como cuidar da pele

A celulite é algo extremamente comum entre homens e mulheres, mas, preocupa muito mais o último grupo. A Sociedade Brasileira de Dermatologia apresenta estatísticas de que em cada 10 mulheres, 8 possuem celulite. E não é a toa que essa é uma preocupação muito maior entre o sexo feminino: nesse grupo a celulite é comum por culpa do estrogênio, um hormônio que permite o acúmulo de gorduras principalmente nas coxas, quadris e glúteos.

Outro fator que ajuda no surgimento dos famosos furinhos é a má alimentação, principalmente, e também o sedentarismo, além de hábitos que dificultam a circulação sanguínea, como o uso de roupas muito apertadas e justas, por exemplo calças.

O que as mulheres sempre se perguntam é por qual motivo a celulite se apresenta de maneiras diferentes em cada corpo, e a resposta é que muito provavelmente elas estejam em estágios diferentes. Por essa razão, em alguns casos, elas são mais leves e em outros mais aparentes. Outra justificativa pra essas diferenças é que cada pessoa tem uma característica genética diferente, sendo assim algumas terão mais facilidade e tendência do que outras.

Listamos aqui quais são esses níveis diferentes para que você possa tratar da maneira mais adequada e até mesmo prevenir-se!

Primeiro estágio

Quando apertamos uma região da pele com as mãos, podemos ver a formação de alguns furinhos , mas eles não são visíveis quando estamos com a pele normal. Essa é a fase inicial da celulite, que pode começar quando ainda somos bem jovens, como na adolescência, mas já sinaliza que podemos iniciar alguns cuidados, praticando atividades e mantendo uma alimentação equilibrada.

celulite-duvidas-comuns-1116-1400x800

Segundo estágio

Nesse estágio, por permitir mais concentração de gorduras nas células, conseguimos observá-las naturalmente, sem precisar pressionar a região da pele. Quando ela atinge esse nível, as atividades físicas e alimentação ainda são importantes, mas não bastam: é necessário contar com a ajuda de uma drenagem linfática, massagem modeladora ou aparelhos como a radiofrequência. Esses cuidados, ainda nesse estágio, apresentam bons resultados.

Celulite grau 2

Terceiro estágio

Quando ela atinge esse estágio, já passamos a associar o caso ao ganho de peso de forma excessiva. Aqui também identificamos indisposição e até mesmo dor nas pernas. Os nódulos são mais profundos e a circulação mais comprometida, podendo até surgir micro varizes e pequenos vasos. O tratamento nesse caso é o mesmo do estágio anterior, feito em mais sessões e de forma mais intensa, visando também a perda de peso, que é indispensável pra melhores resultados. A recuperação também é boa, porém bem mais lenta e trabalhosa.

χαλαρωση_κυτταρίτιδα_μασκα_

Quarto estágio

Além de muito perceptíveis, a celulite desse estágio também aparenta endurecimento e inchaço, que aponta a formação de fibrose. Além da aparência, gera ainda mais dor e desconforto que o terceiro estágio. Os tratamentos dos estágio anteriores também são recomendados nesse caso, mas, além de lenta, a recuperação não é total.

Nos estágios 3 e 4 é necessário, na grande maioria das vezes, um acompanhamento multidisciplinar, ou seja: dermatologista, endocrinologista (para perda de peso) , fisioterapeuta entre outros.
celulite-pernas-noite-1016-1400x800

Principais passos para evitar a evolução desses quadros

Como dissemos anteriormente, o estilo de vida, como a prática ou não de atividades e a alimentação, além do quadro hormonal e a herança genética é que dirão sobre a evolução e tratamentos da celulite.

As mudanças de alguns hábitos e o auxílio com tratamentos estéticos, seja em consultório ou clínicas de estética também são de grande ajuda. Além de melhorar o aspecto da celulite, eles também podem evitar a evolução do quadro de um estágio para outro. Ou seja, quanto mais cedo você começar a tratar os primeiros sinais de celulite, maior a chance de reverter o caso.

Beber água está na primeira das dicas, porque ela elimina as toxinas e ajuda a levar os nutrientes e oxigênio às células, assim como exercícios físicos, que devem ser praticados ao menos 3 vezes por semana. Além disso, tente ingerir mais alimentos diuréticos e ricos em antioxidantes. Evite doces e sódio em excesso, assim como refrigerantes.

É importante ressaltar que apesar da grande variedade de cremes anti-celulite disponíveis no mercado, sua eficácia é muito baixa, pois eles não chegam até as camadas mais profundas da pele, onde está localizado o problema. Então, além da dieta e dos exercícios físicos, os maiores aliados ao tratamento da celulite são a drenagem linfática, os aparelhos de radiofrequência e em último caso a lipoaspiração.

Mas procure primeiramente um dermatologista. Só ele poderá examina-lo, entender quais são as principais causas para o surgimento de sua celulite e qual é a forma mais eficaz de tratamento.

 

Ficou com alguma dúvida sobre celulite, tratamentos, ou qualquer outra dúvida dermatológica? Então, envie a sua pergunta ao dermatologista!

COMENTÁRIOS


Lembre-se: este site não realiza consultas online nem receita medicamentos ou cosméticos. Reservamos o direito de escolher quais perguntas responder e apenas tiramos dúvidas específicas sobre problemas de pele.



COMENTÁRIOS




Escreva sua mensagem (Máx. 250 caracteres)