Perguntas e respostas

Cosméticos ou dermocosméticos, qual é o mais indicado?

Piel10

De um lado os cosméticos. Do outro, os dermocosméticos. Qual você usa mais no seu dia a dia? Você sabe exatamente qual é a diferença entre um e outro? A diferença é bem clara e nós vamos contar nesse post tudo o que você precisa saber sobre esses produtos que estão em nosso cotidiano!

Provavelmente você tem vários deles em casa, ou tem uma listinha de produtos que deseja conhecer, que deve ter lido na internet, em alguma matéria ou que já foi recomendado por amigos e amigas.

Qual é a grande diferença entre um e outro?

A diferença principal está na forma como cada um deles age: os cosméticos agem superficialmente e são mais utilizados para melhorar algum ponto da pele momentaneamente. Já os dermocosméticos agem mais profundamente, com o intuito de corrigir algum problema. Eles são o que podemos colocar no meio termo entre cosméticos e medicamentos,  compostos com atividade terapêutica. São registrados como grau 2 na Anvisa, o que significa que precisam ter comprovação científica no que diz respeito à sua eficácia e também segurança – isso eleva muito a confiança no produto e a garantia de resultados!

Um ponto que pode ser considerado positivo em relação aos dermocosméticos, é que como eles são feitos para agir nas camadas mais profundas da pele, não possuem corantes, aromáticos e nenhum conservante, isso diminui muito as chances de irritação e alergias na pele, o que é bem diferente de quando utilizamos cosméticos.

Como agem?

Quando você tem uma mancha no rosto e deseja cobri-la rapidamente para ir a uma festa naquele dia, por exemplo, você provavelmente fará uso de algum cosmético para disfarçar a mancha. No outro dia, ela ainda estará lá. Já no caso de alguma mancha que precise de tratamento para ser removida, você passará a utilizar dermocosméticos, que possuem ativos em sua fórmula com a maior penetração na pele, e que ajudarão a tratar realmente o problema.

Isso pode ser explicado pelo fato de os dermocosméticos, ao contrário dos cosméticos, terem ativos que alcançam camadas mais profundas da pele. Vale lembrar não há uma disputa entre um e outro, os dermocosméticos não são exatamente melhores que os cosméticos, os dois possuem ações diferentes.

É preciso receita para utilizar os dermocosméticos?

A resposta é não. Isso acontece porque, apesar de ter diversos ativos que agem profundamente na pele, só existem duas classificações entre as normas que regulamentam a venda desses produtos: medicamentos e cosméticos. Os medicamentos, como antibióticos e corticoides, por exemplo, utilizados para tratar acnes e outros problemas, são vendidos depois de muitos estudos, testes e segurança, tudo para que seus efeitos sejam comprovados. Por isso, são comercializados apenas com prescrição médica. Apesar dos dermocosméticos também exigirem testes e estudos para comprovar os efeitos de seus ativos, ainda não existe uma nomenclatura específica para eles, por isso são vendidos como cosméticos.

Ainda assim, o ideal é que sejam indicados pelo seu dermatologista, pois só ele saberá o melhor ativo indicado para o seu caso e qual a melhor maneira de utilizá-lo.

Diferenças entre os princípios ativos

No caso dos dermocosméticos, todos os ativos são feitos em laboratórios e possuem patentes. Os cosméticos têm ativos que são de uso livre, como a aloe vera, óleos vegetais e vitaminas. Outra diferença é que a quantidade de ativos nos dermocosméticos é bem maior em relação aos cosméticos, mas menores que nos medicamentos.

Qual você deve escolher?

Os dois, quando utilizados corretamente, possuem ótimos efeitos, mas não devem ser comparados, pois, como explicamos, foram criados para propósitos diferentes, ainda que os façamos uso dos dois, em um mesmo problema. Os cosméticos, como dissemos, conseguem uma melhoria na pele que é muito mais visual e não trata o problema, mas é perfeito para uma ajuda mais urgente. Os dermocosméticos não oferecem uma solução mais rápida, pois precisam agir internamente, causando uma modificação nas camadas mais profundas, que depois são externadas, ocasionando melhoras na pele. Ou seja, é um resultado alcançado a longo prazo, mas com resultados concretos, tratando o problema.

 

Agora que você já entendeu a principal diferença entre os dois, procure um dermatologista e veja qual é o melhor caminho para tratar seus problemas. Se você ainda ficou com alguma dúvida, pode enviar ao dermatologista!

 

COMENTÁRIOS


Lembre-se: este site não realiza consultas online nem receita medicamentos ou cosméticos. Reservamos o direito de escolher quais perguntas responder e apenas tiramos dúvidas específicas sobre problemas de pele.



COMENTÁRIOS




Escreva sua mensagem (Máx. 250 caracteres)

  • Responder Elzeli simas 14 de junho de 2017 at 10:18

    Tenho manchas escuras no rosto, como posso acabar com essas manchas??