Makeup-products-to-even-out-skin-tone-and-complexion
Perguntas e respostas

Evite algumas substâncias presentes nas fórmulas de cosméticos muito comuns!

Quem consome muitos produtos cosméticos e de higiene pessoal, em especial as maquiagens, sabe que é comum fazer uma pesquisa para saber o que as pessoas estão falando sobre ele, como nas famosas resenhas. O que é muito difícil é encontrar um consenso: enquanto muita gente aprova alguns produtos, outras relatam diversos problemas. Essa situação é comum e não exatamente significa que o produto é de má qualidade, mas que ele não se adequou à sua pele, ou possui produtos que podem causar alergias.

Mas, tem outro ponto que é muito importante nisso tudo: os cosméticos, com o avanço da tecnologia, passaram a correr maior risco de toxidade, por causa das substâncias utilizadas em sua produção.

O que causa problemas em produtos de beleza?

Alguns corantes e conservantes são os responsáveis por isso. Por essa razão, além de verificar nas embalagens qual a textura, indicação, perfume ou coloração de um produto, é extremamente importante se atentar aos componentes de sua formulação, não só para evitar possíveis alergias, mas para evitar também que isso aumente ou estimule a oleosidade ou ressecamento excessivo. Aliás, os problemas que alguns componentes podem causar vão bem além disso, e nós explicaremos mais adiante.

Qual é o primeiro passo?

Identificar se ele é mesmo indicado para o seu tipo de pele. Hoje em dia é muito comum encontrar produtos que ofereçam uma espécie de “2 em 1”, ou seja, que sirva de maquiagem enquanto trata a pele. É como se as maquiagens, por exemplo, fossem além de seus propósitos básicos para oferecer mais benefícios a quem as utiliza. Para isso, esses produtos possuem em suas formulas substâncias destinadas a cada problema em específico. Se não for uma necessidade de sua pele, evite o produto em questão e encontre um mais adequado. Como exemplos, temos as bases que contém substâncias que controlam a oleosidade, então não são indicadas a quem tem a pele mais seca.

Embora funcionem para algumas pessoas, alguns desses produtos podem causas malefícios à pele. Não custa reparar nas embalagens, né?

Mas, além disso, existem substâncias que existem com o intuito de “melhorar” os produtos, aumentar sua vida útil, entre outros propósitos, e que podem comprometer a saúde da sua pele.

Quais substâncias merecem atenção?

Abaixo, listamos algumas das que podem ser evitadas e as razões para isso. São eles:

O chumbo, que pode estar presente em pigmentos, como nas tinturas de cabelo e batons, e mesmo em baixas concentrações, pode causar intoxicações, ocasionando diversos problemas como anemia, dores de cabeça, diarreia, e até surgimentos de tumores, entre outros.

Os parabenos, muito utilizados em produtos de higiene, como shampoos, desodorantes, hidratantes, cremes para barbear e até maquiagens com a intenção de evitar a contaminação do produto por fungos e bactérias, já são um tema bem polêmico. São um dos maiores causadores de dermatite de contato (alergia).

A dioxina também entrou pra lista, já que alguns estudos estão associando-a a casos de diabetes. Ela também interfere nos níveis de hormônios da tireoide.

Os radicais livres funcionam como átomos ou moléculas, que atacam outras moléculas, causando uma reação em cadeia que pode causar muitos danos ao organismo. Repare nas embalagens de produtos e veja se elas não possuem as denominações avobenzone, benzofenona, ethoxycinnamate, entre outras!

O Lauril sulfato de sódio também é super conhecido e serve, basicamente, para aumentar as espumas em shampoos e sabonetes, por exemplo. Seu problema é remover a camada de umidade da pele e, em pessoas com dermatites, psoríase, acnes e outros problemas, pode piorar a situação em si.

Uma observação extremamente importante: além de todas as dicas acima, é importante evitar comprar produtos que não tenham descrição de seus componentes na embalagem, e a explicação é muito simples: assim como dissemos no começo, algumas substâncias podem ser comuns para determinadas pessoas e fazer mal à outras, portanto, em casos de crise alérgica é extremamente importante saber quais tipos de componentes havia na formulação para, assim,  entender a origem da irritação.

Hoje, há um controle bem rígido sobre a quantidade de algumas dessas substâncias nos produtos, assim como existem muito outros que os retiram completamente das fórmulas e vale a pena investir nesses.

Se você tem alguma dúvida sobre o uso de cosméticos, dermocosméticos e suas substâncias, pergunte ao dermatologista!

COMENTÁRIOS


Lembre-se: este site não realiza consultas online nem receita medicamentos ou cosméticos. Reservamos o direito de escolher quais perguntas responder e apenas tiramos dúvidas específicas sobre problemas de pele.



COMENTÁRIOS




Escreva sua mensagem (Máx. 250 caracteres)