Perguntas e respostas

Biquíni de fita isolante é a nova febre no bronzeamento, mas, há riscos?

Esse assunto já é bastante falado há um bom tempo, mas voltou a ficar em alta nos últimos dias. Evitando as marcas maiores dos biquínis na pele, o bronzeamento na laje com o uso de fitas adesivas, se popularizou entre pessoas muito influentes e passou a despertar a curiosidade em tantas outras. Com isso, ficou a dúvida: o que será que os dermatologistas pensam a respeito?

Como funciona o método de bronzeamento com as fitas

A técnica se resume em, primeiramente, colocar uma fita adesiva no corpo, seja fita isolante, fita crepe, ou alguma outra que tenha boa aderência, que imite o formato do biquíni e assim as tão desejadas marquinhas fiquem perfeitas, mesmo com o movimento do corpo. Para acelerar o bronzeado, alguns produtos são utilizados, como parafina ativadora, sucos que ativem a melanina, sucos de beterraba e cenoura, entre tantos outros.

Há problemas nessa técnica?

Por alguns motivos, essa técnica não é recomendada pelos dermatologistas. Vamos apresentar cada um deles:

1. Uso das fitas na pele.

Como todos sabem, as fitas utilizadas são fabricadas para outros fins, e não para esses casos. Então, o contato pode causar a dermatite de contato alérgica, ou alguma irritação causada ao remover a fita.

2. O tempo de exposição

Para que essa técnica traga os resultados esperados, as pessoas precisam ficar expostas ao sol por cerca de duas horas, aproximadamente. Ainda que seja feito em horários mais tranquilos, a alta exposição ao sol é perigosa em qualquer hora do dia. Ela aumenta consideravelmente o risco de câncer de pele e acelera o envelhecimento.

3. Regiões mais sensibilizadas

Como a intenção desse procedimento é puramente estética e busca  uma marca de biquíni bem definida e, em muitos casos, menor, também é bem provável que a fita utilizada cubra apenas o suficiente do corpo, deixando expostas partes do corpo que geralmente não tomavam sol. Nesse caso, elas estão ainda mais sensíveis.

4. Produtos utilizados para o bronzeamento

Os produtos utilizados nesses procedimentos, como citamos anteriormente, são ativados no sol e têm como objetivo acelerar o bronzeamento da pele. Isso acaba fazendo com queimem a pele ainda mais.

Há algum risco real à saúde?

Quem se expõe ao sol, em qualquer situação, precisa estar ciente dos riscos que corre. Todo tipo de bronzeamento exige muitos cuidados. No caso exclusivo dos procedimentos nas lajes, que tem se popularizado tanto, a maioria das pessoas encontram-se desprotegidas e com um tempo de exposição solar muito maior que o adequado.

Há sim alguns riscos à saúde, que vai desde a insolação, até as queimaduras de segundo grau e, inclusive, o câncer de pele.

 

Como sempre dissemos, todo mundo pode se expor ao sol, mas é preciso muito cuidado. Inclusive, é preciso saber que existem alguns fototipos diferentes e, em alguns casos, nem sempre é possível ou tão fácil se bronzear, o que acaba tornando esses procedimentos ainda mais perigosos.

 

Se ficou com alguma dúvida sobre o procedimento e gostaria de enviar sua pergunta para a nossa dermatologista, fique à vontade enviando seus comentários aqui nesse post, ou clicando aqui!

COMENTÁRIOS


Lembre-se: este site não realiza consultas online nem receita medicamentos ou cosméticos. Reservamos o direito de escolher quais perguntas responder e apenas tiramos dúvidas específicas sobre problemas de pele.



COMENTÁRIOS




Escreva sua mensagem (Máx. 250 caracteres)