images
Perguntas e respostas

Tabagismo: os malefícios do cigarro para a pele são reais? O que fazer?

Não é necessário dizer muita coisa: grande parte das pessoas, incluindo os fumantes, já conhecem os malefícios do cigarro para o corpo. No que diz respeito à saúde da pele, de modo geral, ainda há algumas dúvidas. Afinal, a pele de um fumante envelhece mais rápido? Há outros problemas? Vamos explicar agora.

O que o tabagismo acaba causando à pele?

Além de todas as doenças que o cigarro pode causar, ele também causa alterações na pele. Como todos bem sabem, nossa pele tem uma firmeza natural, formada por fibras e colágeno. A nicotina contribui com a diminuição do fluxo de sangue e todo tipo de nutrientes para as células, por causa de contrações nos vasos.

Esse processo faz com que a formação de colágeno e fibras elásticas diminua, mas não é apenas isso: os radicais produzidos pela nicotina também destroem as células e fibras já existentes. O que realmente acontece: ele acelera o surgimento dos sinais de envelhecimento, sendo eles manchas, rugas e linhas de expressão.

Quais são características da pele do fumante?

Como um dos danos mais comuns do cigarro à pele é a perda do colágeno e sua sustentação, os primeiros sinais é o surgimento precoce da flacidez. Outra característica muito comum na pele do fumante é o aparecimento de manchas, que mudam bastante o tom de pele, de maneira geral, e causam muito incômodo.

Além dessas características, há outras que se tornam mais evidentes com o passar dos anos:

– A cor dos dentes torna-se mais amarelada e, com o passar do tempo, escurecida, graças ao contato com a nicotina e o alcatrão.

– Perda do viço e da cor natural da pele.

– Linhas de expressão, inclusive ao redor da boca.

– Queda de cabelo também pode estar associada ao tabagismo, também causada pela diminuição da circulação sanguínea.

– Dilatação dos poros

– Em alguns casos, o cigarro também pode ser um dos fatores de riscos para o câncer de pele, uma vez que ele causa mutação no DNA.

Como reverter os efeitos do tabagismo?

Primeiramente, um ponto claro: é necessário abandonar o vício. Nenhum tratamento pode apresentar nenhum tipo de melhora, enquanto outras células continuam a ser prejudicadas. Também é importante entender que os efeitos causados pelo tabagismo, de forma geral, são irreversíveis.

No entanto, interrompendo o vício, é possível melhorar os aspectos causados na pele com o uso de alguns ativos recomendados pelo seu dermatologista, como os antioxidantes. Outra saída é a tentativa dos procedimentos feitos em consultório.

De qualquer maneira, precisamos lembrar que parar com o cigarro não causa efeitos imediatos. Isso evidencia a importância de se parar o mais depressa possível, para que os malefícios também parem mais cedo.
E você, já notou essas características na pele de quem fuma? É fumante e gostaria de esclarecer alguma outra dúvida? Então, envie a sua pergunta para a nossa dermatologista!

COMENTÁRIOS


Lembre-se: este site não realiza consultas online nem receita medicamentos ou cosméticos. Reservamos o direito de escolher quais perguntas responder e apenas tiramos dúvidas específicas sobre problemas de pele.



COMENTÁRIOS




Escreva sua mensagem (Máx. 250 caracteres)